pelas ruas da amargura

Quem anda pelas ruas da amargura, com certeza que palmilhará um trilho tortuoso, aflitivo e difícil; será a rota de quem tem uma vivência penosa e atribulada.
A origem poderá ter várias interpretações. A mais vulgarizada alude à Via Sacra, o caminho de Cristo até ao Gólgota: torturado e aviltado, Jesus teria percorrido, literalmente, as ruas da amargura.

Outra hipótese admissível leva-nos até ao século XVIII, quando era uso de a justiça fazer os condenados caminhar pelas ruas, submetendo-os aos escárnios da populaça; o castigo tornava-se ainda mais vexante por causa dos trajes (sambenitos) que vestiam.

 

 

 

(todos os caminhos vão dar à ponte, quando o rio não tem nenhuma)

rico como um porco

 

 

 

 

Elocução para designar um sujeito, geralmente pouco recomendável, a quem se reconhece ser possuidor de muitos bens.
Ora, comecemos por dizer que o dito não tem nada a ver com os pobres suínos.
A origem remonta aos tempos em que era costume achincalhar os marranos e judeus, chamando-os de porcos, por serem tidos como ricos e também como avarentos, mas viverem em casas miseráveis, tão sujas que mais pareciam pocilgas.
O que viria a dar origem ao ser rico como um porco.
Com muita graça, em A Morgada de Romariz, escreveu Camilo Vossê podia a esta hora estar rico como um porco, se tivesse outra casta de pai…

 

 

 

(quem mora com judeu cria rabo)