à cunha

Uma expressão que, ao longo de tempo, tem sido sucessivamente deturpada. Já foi usual dizer-se o teatro estava à unha; acabaria por vulgarizar-se o teatro estava à cunha. O significado, esse, manteve-se inalterável: haver uma enchente, uma fartura, em enorme abundância ou afluência. A fonte poderá ser de origem árabe: ad-dunîâ (adúnia), que significa de todo ou para todos os lados ou partes, abastança, fartura.
Ou será ad unguem (à unha), expressão latina que diz da obra acabada com perfeição; metáfora utilizada pelos operários da Roma antiga, que passavam a unha por cima da obra para verificar se estava lisa e igual por todo.
Qual escolhe? Considero ambas boas hipóteses para aprofundar a pesquisa…
(ver muita merda)

 

 

 

(pariu aqui a galega)