a forca

O mais antigo caso conhecido de um enforcamento, é narrado no Génesis ao relatar a execução de um dispenseiro de um Faraó. A execução de Mamon (uma divindade demoníaca ligada à iniquidade) prova também que este castigo é bastante remoto, embora, curiosamente, não conste que tenha sido praticado no tempo dos celtas ou mesmo dos romanos.
O principal deus dos países nórdicos, Odin, deus do vento e do sol, era uma divindade bastante cruel, que exigia muitos sacrifícios humanos, sendo costume penderuar os sacrificados pelos pescoços, nos ramos das árvores, para que Odin (o vento) os roçasse.
Na Dinamarca, de nove em nove anos, eram enforcados noventa e nove homens em honra de Odin. Na antiga Upsal, penduravam-se as vítimas humanas, pelo pescoço, numa colossal estátua do deus.
Os cimbros e os teutões, depois das suas vitórias sobre os romanos, enforcavam prisioneiros em honra de Odin, e quando escasseavam os prisioneiros de guerra, usavam os criminosos para esses sacrifícios.
Foi, na verdade, dos povos do norte que se espalhou, um pouco por todo o mundo, o uso da pena de morte por enforcamento.

.

 

22 comentários sobre “a forca

  1. mena m. 5 Agosto, 2009 / 07:40

    Apre!

    Eu que gosto do vento não lhe conhecia este lado…

    Beijinho

  2. mfc 4 Agosto, 2009 / 14:38

    A barbárie é antiga… e ainda não desapareceu!

  3. APC 1 Agosto, 2009 / 01:30

    Este meu comentário é já para a edição que se segue e que me irá apanhar de férias: – 'Tá magnífico!
    … E digo-o assim, antecipadamente, porque a minha confiança é cega! Ou vê além! 🙂
    Além do mais, o abraço,
    Je

  4. Arabica 31 Julho, 2009 / 13:31

    Para deuses tão crueis na exigência, nada como ser ateu.

    Mas o pior, mesmo, são os outros deuses.

    Abraço, bom fim de semana

  5. jawaa 30 Julho, 2009 / 15:35

    Os deuses são sempre muito duros, cuéis, quando não injustos…!

  6. Osvaldo 28 Julho, 2009 / 09:23

    Caro amigo;

    Excelente descrição histórica de uma tortura que mesmo quando não é exigida pela lei, muitos ainda fazem lei pelas próprias mãos,… ou cordas.

    Obrigado pelo reparo que fez em relação à postage sobre Viana lá no blog.

    Obrigado e um abraço,
    Osvaldo

  7. Bartolomeu 27 Julho, 2009 / 10:40

    Nesse caso caro Tinta, podemos inferir que o costume do "casamento", tambem foi trazido cá para baixo pelos Dinamarcosos Viking!?
    Malvados… andávamos tão bem a "caçar" e a "pescar"… tinham de vir esses artistas pendurar o pessoal pelo … pescoço.
    ;)))

  8. Baila sem peso 25 Julho, 2009 / 19:44

    Wotan, Senhor de mitologia
    Ostenta em seus ombros
    Dois corvos (Hugin e Munin)
    "Enfeitam" a sua fantasia!
    Davam-lhe a conhecer Pensamento
    E Memória a cada dia
    Sobre o que no Mundo se fazia!
    Corcel de oito patas, era seu andamento
    Corria leve como o vento…
    (Chamado Sleipnir suave seu definir)

    Enforcou-se na arvore cósmica
    ("atalho" para alcançar Sabedoria)
    Renascendo em seguida!…
    E também deu seu olho…outra magia
    Entre símbolos, cultos e disfarces
    virtudes, citações e poesia…
    quarta-feira, dedicado lhe foi o dia!
    Sabia bem? não!… 🙂
    Bisbilhotei tudo na wikipedia! 🙂
    "Vá para o diabo que o carregue"
    É uma expressão que por lá li
    Já para não falar do sono de valquíria

    Xii…vou ficar por aqui…
    Dar à forca, uma outra razão…
    Como seria vista "a coisa" hoje então?!!
    Se deuses e deusas se misturassem
    E na confusão se enforcassem…
    Como eu que já meti
    Os pés pelas mãos… 🙂
    Isto de ventos irados, trás muita confusão!:)
    Coitado do deus pagão!…
    Obrigada TP!!!! A minha curiosidade
    Me levou aos mundos doutra vontade!
    Ou será que a vontade é igual
    E eu estou a ver, é mal?? 🙂

    Abraço em forte laço!
    A forca fica (em)baraço

    (Ah…cansaço…como jeitinho para adivinho, foi tiro certinho. Beijinho :))

  9. tulipa 25 Julho, 2009 / 17:57

    O que eu "aprendo" visitando o teu blog.

    Neste momento ainda me encontro em convalescença da pneumonia, por isso quase nem posso brincar c/os netos, nem passear, nem fazer arrumações e limpezas de Verão, enfim…há que ter paciência.

    O meu ultimo post tem a ver com o "MAU" que existe na Blogosfera, fico triste. Mas a vida é assim!

    Deixo-te um beijo e votos de óptimas semanas de Verão.

  10. São 24 Julho, 2009 / 20:00

    Mas porque razão querem todos os deuses sacrificios, como se a vida em si não fosse já dura que chegue?!…

    Bom fim de semana.

  11. APC 24 Julho, 2009 / 16:43

    Certa vez, estava eu a fazer umas "entradas" para um dicionário enciclopédico (actividade na qual sempre se aprende umas quantas), calhou-me um pouco do deus Odin, do seu hidromel e do filho, Thor. Calhar-me-iam outros quantos detalhes da Granideum (mitologia escandinava, nórdica, germânica, viking) lá mais além, a propósito d'umas e d'outras, o que acabaria por atiçar a minha curiosidade sobre tanto mais (como as Eddas e o mistério que as envolve). Tentar estabelecer paralelismos entre as várias fontes mitológicas também é um jogo engraçado, que nos mostra como há valores que lhes são transversais, e outro não tanto…
    Mas quisera eu saber disso um quê!

    Já agora, et a propos: sabias que esse pote de ouro no fim do arco-irís é coisa da mitologia irlandesa?

    Nota: de todas, a entrada que mais gostei de fazer foi "Anel". Pena que tivesse um número de palavras limitado; mas nem imaginas o mundo simbólico que se me abriu com isso!

    Mas olha o que eu já falei para aqui hoje. Põe-me travão, s.f.f.!

    A forca só perdeu o que era seu quando a corda se rompeu! (lol).

  12. Licínia Quitério 24 Julho, 2009 / 15:33

    À imagem e semelhança dos homens que os criam, como sempre.
    Excelente, claro.

    Abraços.

  13. Rosa dos Ventos 24 Julho, 2009 / 13:41

    Estes tipos do norte eram mesmo bárbaros!
    Já os romanos os julgavam assim… :-))
    Sempre a aprender!

    Abraço

  14. Vieira Calado 24 Julho, 2009 / 12:34

    Aprendi alguma coisa!

    Bom fim de semana.

  15. Arménia Baptista 24 Julho, 2009 / 10:28

    …Tanta crueldade!!!…Pois, hoje há outras formas, talvez até mais cruéis…:(

  16. Justine 24 Julho, 2009 / 09:14

    Esse Odin era um bocado exagerado, não achas?:))Um deus muito antipático, como(na minha modesta opinião)quase todos os deuses!
    Abraço

  17. Dulce 24 Julho, 2009 / 01:32

    Há tanta coisa no mundo que a gente não sabe… Sua postagem de hoje, por exemplo. Nem imaginava!…
    Aqui sempre se pode aprender alguma (ou muita) coisa.
    Um abraço.

  18. gaivota 23 Julho, 2009 / 23:43

    há coisas que nunca deveriam ter "passado pela nossa história"… mas não sabia tanto sobre estes casos de "forca"
    golas altas já me afligem demais!!!
    beijinhos

  19. Isamar 23 Julho, 2009 / 23:12

    Que tristeza ver o homem tirar a vida a outro homem não permitindo a sua regeneração. Sou defensora do trabalho para a comunidade em vez da condenação à morte por enforcamento ou por qualquer outro meio.Sem redução da pena aplicada.

    E tenho vergonha que isto tivesse acontecido assim como a escravatura.

    Beijos e abraços

  20. mdsol 23 Julho, 2009 / 22:36

    Não sabia. É sempre bom saber.
    :)))

  21. MagyMay 23 Julho, 2009 / 21:18

    Até senti um nó na garganta e um aperto no pescoço…

    Aprendi, como sempre
    Agradecida

    Abraço

(actualmente os comentários estão encerrados)