a origem de Aveiro

Pergunta-me M.F. se é correcta a hipótese de Aveiro ser a Talábriga romana, e qual a origem do nome actual.
Ora, é verdade que foi uma probabilidade defendida durante muito tempo. Já no século XVI, a propósito de umas ruínas achadas perto de Cacia, se alvitrou que estas seriam parte de Talábriga; logo, mais ou menos coincidente com a actual Aveiro.
Esta teoria teve, sem contraditório, assentimento geral nos três séculos seguintes.
No entanto, já no século XX, concluiu-se que, com maior verosimilhança, as ruínas de
Talábriga situar-se-iam em Branca (Albergaria-a-Velha) ou em Marnel (Águeda).
A origem do nome Aveiro, aí a controvérsia é maior.
Em meados do século X designava-se por Allavarium (ou Alavario) a povoação ali existente, que revela uma evidente composição latina e, de alguma forma, sugere a actual. O professor Botelho de Amaral lembra que existiu um povo da Hispânia Tarracoense chamado alabanenses e, daí, é possível que, na forma primitiva de Aveiro, isto é, Alavário, esteja o mesmo desconhecido elemento pré-romano destes tais alabanenses.
O próprio doutor Leite de Vasconcelos, nas suas Lições de Filologia Portuguesa, não adiantou mais do que isso, sugerindo confrontar com o vasconço Alava: Aveiro teria sido Alavário ou Aaveyro. Mas, qual o primitivo étimo desta denominação? Não se sabe!
No entanto, pegando a primeira Gramática da Língua Portuguesa, feita em 1536 por Fernão de Oliveira, pode ler-se, no capítulo XXXI, que a sua obra trata das nossas dicções, isto é, aquelas que nasceram antre nós ou já são tão antigas que não sabemos se vieram de fora. E diz, a propósito de Aveiro, que é nome de lugar, porque dantes nessa terra morava um caçador de aves ao qual como alcunha chamavam o Aveiro.
Se non é vero, é bene trovato.
Devemos reconhecer, pelo menos, que a hipótese está fantasiosamente bem engenhada. A verdade é que Aveiro, ainda hoje, é um nome bem misterioso para quem não vá atrás de explicações mais ou menos habilidosas…
Aveiro surge, desde tempos muito recuados, integrada no sistema administrativo nacional de donatários, costumes municipais, entre outros, embora não se saiba se com ou sem foral. É possível, no entanto, que tenha sido doada por D. Sancho I a sua irmã, D. Urraca, em 1177. Aveiro seria elevada a cidade, por D. José I, no ano de 1759.
Espero ter ajudado.