ó minha farrapeirinha…


A Farrapeira é uma das várias danças típicas de Portugal (há o bailarico saloio, a tirana, a chula rabela, o fandango, a moda das saias, o regadinho, o vira, entre outras), todas com tipicidades tão diferentes que, por vezes, a mesma dança é diferente, nos instrumentos, na coreografia ou mesmo ambos, de concelho para concelho. A Farrapeira é bastante viva, normalmente é dançada de modo arraigado e alegre, e tem a particularidade de não ter refrão cantado, limitando-se ao instrumental que, neste caso, à guitarra, pífaro, harmónica ou gaita-de-foles, permite os improvisos de onde, por vezes, resultam excelentes e inusitadas peças musicais. Que tornam ainda mais cativante a dança, já que ela também vive, e muito!, do marcador que impõe o ritmo ao som de estribilhos brincalhões, chistosos, mordazes, mas sempre cheios de graça. Há registos que referem uma dança, em tudo semelhante, no século XIV, embora alguns historiadores reclamem que, na altura, se tratavam de quadrilhas. Provavelmente serão, por esta lógica, apropriações populares dessas danças de salão e, assim, trazidas para as ruas pelo povo que as escolheu e as adoptou. Dança-se nas Beiras, mas também um pouco pelo vale do Tejo.

Ó minha farrapeirinha
Ó minha troca farrapos
Ó meu bem, ó minha troca farrapos
Tenho a camisa nova toda cheia de buracos
larilólela, toda cheia de buracos (…)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *