fazer caixinha

É verdade (triste…) que alguns portugueses apreciam imenso armar ao fino, neste caso, quando falam. Há os que se empáfiam para botar palavra, outros até mudam de tom e, mais amiúde, os que vertem na arenga umas palavritas da estranja a compor.
De tal forma que, por vezes, acabamos por esquecer algumas, muitas, palavras da nossa língua. O que é uma pobreza!
Até nos jogos de azar (que a sorte é sempre rala…), lá temos o king, o bridge, o poker e mais uns quantos.

E, pelo meio, ainda se arranja maneira de fazer… bluff.
Ora, como sabem, estebluff, quer dizer fingir que se tem bom jogo e, genericamente, por isso mesmo se usa comummente como sinónimo de fanfarronice, engano, intrujice, patranha, mentira, e por aí fora.
Um trecho de uma elegia de Camões que começa Aquele mover d’olhos excelente, diz assim, mais à frente mostrando refrear o pensamento, oh! que doce fingir! que doce cacha!
Esta cacha, que anda na língua portuguesa há quatro ou cinco séculos (encontrei andão nus da cinta para cima, e para baixo cachados com pannos de seda,  Damião de Góis, Elucidário 1821), é exactamente o bluff bretão, que por cá se introduziu há menos de um século. Percebe-se bem, nos versos de Camões, que cacha significa engano, artifício; e, como no uso em jogo, dizia-se envidar de cacha quando algum dos jogadores, como no bluff, fazia uma jogada, sem pontos suficientes para ganhar, fingindo o contrário e, assim, induzir os adversários a desistir da parada.
Há, porventura, quem creia que, isso sim!, o tal cacha vem do francês cacher, esconder, ou do inglês to catch, apanhar. Que grande calinada (sabe qual a origem? Veja no livro…)! Cacha é bem portuguesa. E velha. Pobreza franciscana!
Ora, que tem isso a ver com fazer caixinha?…
Caixinha é uma caixa pequenina que se entende por uma delicada, preciosa, valiosa caixa, um cofre, uma caixa de segredos. Onde escondemos, dissimulados alguma coisa. Assim entendemos a expressão, assim pode ser e assim será. Também pode acontecer que esta moderna maneira de a dizer seja a velha fazer cacha que tomou uma forma adulterada por se ter, em certa altura, perdido a noção do sentido antigo. Será?…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *