assim começou o Cinema em Portugal

No dia 18 de Junho de 1896, os lisboetas puderam assistir no Real Coliseu de Lisboa da rua da Palma, entre outras atracções anunciadas em cartaz, à estreia do Animatógrafo, uma série de quadros de fotografias animadas que o projeccionista Edwin Rousby, trazido pelo empresário António Manuel dos Santos Júnior, andava a exibir nas principais cidades da Europa. Este dia ficou nos anais do espectáculo em Portugal como a data das primeiras imagens cinematográficas projectadas no nosso país. Numa das sessões apresentadas depois no Porto, encontrava-se o portuense Aurélio da Paz dos Reis. Este conhecido floricultor e fotógrafo amador ficou tão entusiasmado com o que viu que, em Agosto desse ano, partiu para França e de lá trouxe uma máquina de filmar e projectar.
A 12 de Novembro de 1896, com a primeira sessão comercial de documentários realizados por ele, começou a história do cinema português. Os filmes exibidos mostravam episódios da vida portuguesa, que ficariam como, de facto, os primeiros filmes nacionais: Cenas de Rua (a rua do Ouro, em Lisboa), Feiras (a feira do Gado na Corujeira), Folclore (o jogo do pau) e A Saída da Fábrica (saída do pessoal operário da Fábrica Confiança, este uma imitação do filme dos Lumiêre La Sortie des Usines de Lyon).
Em 1904, é inaugurado o Salão Ideal, no Loreto, em Lisboa, a primeira sala destinada exclusivamente à exibição cinematográfica com sessões regulares. O seu proprietário, Júlio Costa, contratava pessoas para falarem por trás do écran durante a exibição das películas. Era uma espécie de ‘cinema sonoro’, um êxito que, consecutivamente, enchia a sala de cinema.
O primeiro filme verdadeiramente sonoro feito em Portugal por portugueses só viria a ser realizado cm 1933 pela Tobis Portuguesa. Foi a Canção de Lisboa, interpretado por Beatriz Costa, Vasco Santana e António Silva, entre outros, Este filme marcou também o início de um género cómico – uma mistura do teatro de ‘vaudeville’ com a revista à portuguesa – que foi adaptado com grande êxito pelos nossos cineastas em filmes realizados na década de 40 (entre eles, O Pai Tirano, de António Lopes Ribeiro, O Pátio das Cantigas, de Francisco Ribeiro, e O Leão da Estrela, de Arthur Duarte), que ainda hoje fazem as delícias dos espectadores portugueses.

4 comentários sobre “assim começou o Cinema em Portugal

  1. Justine 26 Abril, 2018 / 13:41

    Mais um pouco da nossa história, e muito bem contada. Tomei conhecimento do Aurélio da Paz dos Reis há 3 anos no curso de fotografia, até então um desconhecido para mim. Fiquei encantada, é uma figura interessantíssima.
    Espero que tenhas passado um excelente 25 de Abril! (e obrigada pelo teu comentário à fotografia do nosso 25Abril!)
    Abracinhos

    • jorgesteves 28 Abril, 2018 / 10:25

      A propósito, olha que não sei se ele (o Paz dos Reis) era tão bom fotógrafo como foi floricultor! Foi, de facto, no Porto, uma figura marcante no virar do século XIX.
      Abraço.
      jorge

  2. Otília Martel 24 Abril, 2018 / 10:29

    Excelente explicação sobre o cinema em Portugal. Gostei de ler.
    Um abraço

    • jorgesteves 25 Abril, 2018 / 18:27

      Devia ter sido um deslumbramento esta primeira experiência de imagem!…
      abraço,
      jorge

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *