por que tem a Maratona 42.195 metros?…

O que para alguns é fútil bagatela, para outros será pegada a seguir, para descobrir interstícios de emaranhada narrativa. Afinal, a maratona, para além dos redondos quarenta quilómetros tem mais dois porquê? E aquela minudência dos poucachinhos 195 metros, é o quê, hã?!…
Já que estamos em tempo das (muitas) de S. Silvestre,  vamos então ao assunto.
Nas três primeiras Olimpíadas Modernas, a Maratona foi corrida numa distância aproximada de quarenta e dois quilómetros. Esta distância teve origem na história, em 490 a.C., de um mensageiro grego, chamado Pheidippides, que correu essa distância, de Maratona a Atenas para relatar a vitória dos atenienses sobre os persas. Segundo a mesma história, Pheidippides, entregou a mensagem e, depois, caiu morto.
Mas, na verdade, esta história é isso mesmo: uma história. A versão aparece, pela primeira vez, com o historiador romano Plutarco (cerca de 45 d.C.), ou seja, quase 500 anos depois! Ele chama ao corredor Eucles. Admite-se como mais provável que ele tenha feito confusão, com outra história, muito mais antiga de Pheidippides, registada por Heródoto, que nasceu seis anos após a famosa batalha e cuja narrativa é, assim, a mais aproximada que existe de um relato contemporâneo à época.
Então, segundo Heródoto, Pheidippides correu de Maratona não a Atenas mas a Esparta (que são 246 km!…) em busca de ajuda para neutralizar o ataque persa. Os espartanos estavam ocupados com um festival religioso, por isso correu de volta e os atenienses tiveram de combater os persas sozinhos…
(embora haja aqui um pormenor sui generis: enquanto numa narrativa Pheidippides cai redondo ao cabo de 43 quilómetros, na outra, depois de 246 quilómetros, retoma outros tantos de volta…)
Mas as voltas da Maratona não acabam aqui: como já vimos, nas primeiras Olimpíadas Modernas elas tinham uma distância aproximada de 42 km, a tal distância tida como lendária do guerreiro Pheidippilis. Acontece que, em 1908, os Jogos Olímpicos realizaram-se em Londres e a linha da partida foi posta frente a uma janela do Castelo de Windsor, na qual metade da família real podia assistir, e com a meta em frente ao camarote real, no estádio Withe City, onde a outra metade da família real estava à espera.
Só que esta distância era de quarenta e dois quilómetros e cento e noventa e cinco metros. E assim, simplesmente, passou a ser esta a distância padrão de qualquer maratona, a partir de então. Pode quem pode, dizia um personagem camiliano…
Realmente!…

 

 

 

(muito pode o galo no seu poleiro)

4 comentários sobre “por que tem a Maratona 42.195 metros?…

  1. Elvira Carvalho 2 Janeiro, 2019 / 15:17

    Hoje eu só passei para lhe desejar um 2019 muito feliz.
    E deixar um abraço

  2. Carlos Amorim 28 Dezembro, 2018 / 10:54

    Não sabia que existiam duas histórias quase paralelas sobre o tema na Grécia antiga! Curiosa é verdade a diferença de resistência do atleta de uma para a outra.

  3. Elvira Carvalho 27 Dezembro, 2018 / 23:13

    Esta eu já conhecia.
    Só hoje reparei que este blogue já tem comentários.
    Abraço

  4. tb 27 Dezembro, 2018 / 20:18

    Pode quem pode. Essa é que é essa!…
    Gostei da história (dentro das histórias), ou será o contrário?! 🙂
    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *