advogado do diabo

Advogado do Diabo é, efectivamente, uma profissão existente. Pelo menos foi-o, até à sua abolição, em 1983, pelo Papa João Paulo II.
Tida como uma expressão que designa uma tarefa que ninguém por regra deseja, por ir contra a convicção geral, o advocatus Diaboli (designação popular do Promotor Fidei) é o membro da Igreja Católica a quem incumbe levantar objecções em todas as argumentações documentadas num processo de canonização. Na facção oposta, o membro do clero recebe a designação advocatus Dei.

Na verdade, a sua abolição fez disparar o número de beatificações e santificações o que, de algum modo, dá crédito ao significado da expressão que, no seu sentido literal, sugere alguém que defende argumentos nos quais não acredita ou, simplesmente, argumenta para testar e validar a qualidade da argumentação contrária.
(ver amigo da onça)

 

 

 

(rodas e advogados existem para serem untados)

agradar a gregos e troianos

Difícil quase sempre, por vezes até impossível, agradar a gregos e troianos, que é dizer agradar aos dois lados de uma contenda, a pessoas com conceitos, opiniões, razões, diferentes, ou pior, adversas e extremadas, como em muitos casos de política, desporto, religião ou, mais comezinhamente, querelas de vizinhos.
Esta locução provém da Guerra de Tróia, narrada por Homero.

Um conflito, que durou mais de uma dezena de anos: durante um festejo entre espartanos e troianos, Páris, príncipe de Tróia, rapta Helena, e Menelau, seu marido, rei da Lacedemónia (Esparta), depressa levou os seus exércitos a cercar as inexpugnáveis muralhas de Tróia, cenário para encarniçadas e desgastantes batalhas.
Estes dois heróis da história, amados e protegidos por deuses, não viam modo de um ou outro alcançar vitória, pois aos deuses era difícil escolher ou ser imparcial.
Haveria de ser Ulisses, rei de Ítaca, que daria fim à guerra, usando a artimanha do seu célebre cavalo de madeira, onde se escondeu com os seus mais bravos guerreiros.
A cidade foi conquistada e, ao que se sabe, nunca os deuses se entenderam sobre qual dos lados litigantes deveriam apoiar…

 

 

 

(vê a quais agradas não a quantos)