advogado do diabo

Advogado do Diabo é, efectivamente, uma profissão existente. Pelo menos foi-o, até à sua abolição, em 1983, pelo Papa João Paulo II.
Tida como uma expressão que designa uma tarefa que ninguém por regra deseja, por ir contra a convicção geral, o advocatus Diaboli (designação popular do Promotor Fidei) é o membro da Igreja Católica a quem incumbe levantar objecções em todas as argumentações documentadas num processo de canonização. Na facção oposta, o membro do clero recebe a designação advocatus Dei.

Na verdade, a sua abolição fez disparar o número de beatificações e santificações o que, de algum modo, dá crédito ao significado da expressão que, no seu sentido literal, sugere alguém que defende argumentos nos quais não acredita ou, simplesmente, argumenta para testar e validar a qualidade da argumentação contrária.
(ver amigo da onça)

 

 

 

(rodas e advogados existem para serem untados)