de Espanha nem bons ventos nem bons casamentos

O clima em Portugal é fortemente condicionado pelo anticiclone dos Açores que é, genericamente, um amenizador climático.
No entanto, pelo facto de Espanha (ao norte e centro da nossa fronteira) ser interior e montanhosa, os ventos de Este, no Inverno, são frios, de temperaturas muitas vezes exageradas. Também, no Verão, os ventos provenientes do norte de África, secos e rigorosos, chamados suão, chegam a Portugal, pelo norte, depois de uma curvatura feita pelo interior austral de Espanha.
De um modo ou de outro, torna-se evidente que são muito mais tranquilos e cálidos os ventos vindos do mar.

De forma resumida, será assim que a meteorologia e a climatologia explicam os nem bons ventos; o resto da expressão, nem bons casamentos, trata-se, à evidência, de uma alusão à história entre as coroas de Espanha e Portugal, a alguns casamentos atribulados, mal sucedidos, ou mesmo desfeitos, uns ou outros até com trágicos finais, na maioria deles colocando em risco, maioritariamente, a independência de Portugal.
Apesar disso, precavendo a identidade, a cultura, a tradição e sobretudo o bom senso, o povo entende mais seguro que, nestes e outros assuntos, se deixe de lado a parémia e se procure resolvê-los como amigos ou vizinhos chegados…

 

 

 

(o vento ajunta a palha e depois espalha)