pensar na morte da bezerra

Diz-se de quem está triste, sorumbático, de fisionomia cerrada, sem aparente razão ou motivo que se descortine. Daí que seja comum, então, a pergunta, em tom ligeiro: Que tens? Estás a chorar a morte da bezerra?…
Parece que a origem desta locução remonta ao tempo das perseguições religiosas contra os sefarditas, em Portugal, na Idade Média. Como se sabe, os judeus louvam e seguem incondicionalmente a Tora, como chamam ao Pentateuco. Então…
Adoradores de Thora, ou da tourinha, ou da bezerra, tudo é um, e a tourinha, como a serpe, era um dos espantalhos que acompanhavam a procissão do Corpus Christi. Seria, pois, a morte da bezerra a consagração fanática dos autos-de-fé, dizem vários escritos antigos. É, de facto, uma explicação conjectural bastante curiosa.
Em inglês há uma expressão aproximada, mas sobre a morte de uma égua. Quando uma pessoa está pesarosa, pergunta-se whose mare’s dead? (morreu a égua de quem?); até Shakespeare usou essa expressão, em Henrique IV, quando, na primeira cena do segundo acto, faz Falstaff perguntar How now? Whose mare’s dead? What’s the matter?… (E então? Morreu a égua de quem? Que é isso?).
Bezerra ou égua, as mais das vezes, não é caso disso!…
(ver andar embiocada)

 

 

 

 

(a pensar morreu o burro, com freteiro, cangalhas e tudo)

10 comentários sobre “pensar na morte da bezerra

  1. Anónimo 11 Novembro, 2008 / 16:36

    e sobre Chorar o leite derramado, alguem sabe do que se trata?

  2. Ana 1 Março, 2008 / 13:31

    De este no me acordaba mucho, pero creo que mi madre lo dijo alguna que otra vez!
    Besitos

  3. elvira carvalho 1 Março, 2008 / 12:54

    Pois toda a vida tenho ouvido essa frase e eu mesma já a disse algumas vezes.
    Bom fim de semana
    Um abraço
    Acabaram de me deixar um aviso de que estão a enviar vírus para os blogs. Diz que é um comentário que tem escrito Here, Não tente ver quem é delete imediatamente se lhe aparecer.
    Não sei se é verdade, mas mais vale pevenir…
    Um abraço

  4. Sophiamar 1 Março, 2008 / 09:37

    Passar pelo teu blogue é sempre um prazer, amigo Tinta! gostava tanto de saber o teu primeiro nome! Conheci alguém com um blogue semelhante, há dois anos. Entretanto fechou-o. Agora vamos ao que interessa, aqui no Algarve, a quem está distraído também se pergunta: Estás a pensar na morte da bezerra?
    E na minha serra, a quem nos faz um favor ou nos dá uma ajuda, inesperadamente, pergunta-se: quem terá ficado sem burro, por aí?
    Creio que isto se fundamenta em crenças relacionadas com bruxedos e magias. Vá lá saber-se onde?
    Beijinhossssss

  5. Justine 29 Fevereiro, 2008 / 23:39

    O da égua é mais um ensinamento que graciosamente me ofereces 🙂
    E estas exxpressões levam-me a pensar na importância que os animais sempre têm na vida dos humanos, sejam eles éguas, bezerros ou até gatos…

  6. APC 29 Fevereiro, 2008 / 03:41

    Ás vezes é caso disso, o que me acontece sim! :-)))
    E eu também deixo um abraço ! 😛

  7. Fragmentos Culturais 29 Fevereiro, 2008 / 01:39

    Interessante! Já ouvira vagamente… mas agora fiquei muito mais consciente da origem da expressão!
    Saberes distintos divulgas!
    Um excelente fim-de-semana!

  8. Meg 28 Fevereiro, 2008 / 21:30

    Da morte da bezerra, penso que todos conhecemos a expressão, mas não sabia a origem.
    Mas a da égua, adorei, porque nunca tinha mesmo ouvido falar.
    Coisas do arco da velha que tu tens sempre por cá.

    Um abraço

  9. Frioleiras 28 Fevereiro, 2008 / 20:56

    e lá vem mais uma das tuas (re)descobertas…….
    bj

  10. Maria Laura 28 Fevereiro, 2008 / 18:41

    A minha mãe costumava perguntar-me quando me via silenciosa :”Estás a pensar na morte da bezerra?” Na verdade, nunca me perguntei donde vinha tal expressão. Mas agora fiquei a saber. 🙂 Uma explicação bastante plausível.

(actualmente os comentários estão encerrados)