com todos os efes e erres

Há mais do que uma teoria para a origem deste adágio. Uma leva-nos à forma da escrita antiga que, por um lado, diz-nos que os ff representariam os π gregos (as Pandectas), embora os rr, sem explicação de verosímil semelhança, fiquem ao sabor de variados desatinos.
A que me parece mais consistente é outra, bem diferente.
Nós sabemos que com todos os efes e erres quer significar algo que é feito com toda a momice, presunção e esparrame. Seria esse o tom de zombaria que a expressão pretendia brindar os que escreviam com exagerada pedantice, já que era vulgar dobrarem os rr iniciais, como se vê em vários documentos antigos (rrecusa, rrecuar ou rrede); por sua vez, os ss, na escrita gótica, daria uma letra em tudo parecida com os ff.
Além disso, ao que se verifica, o uso do rr dobrado, no começo das palavras, e outras situações estapafúrdias, vingou desde o século XIII ao século XVI.
(extracto de um documento poético medieval (XIII) escrito ainda em galaico-português)

 

 

 

(não há ninguém sem o seu pé de pavão)