desemprego…


Quando Frederico II, da Prússia (mais conhecido por Frederico, o Grande), promulgou o seu célebre Código de Leis (que vigorou de 1794 a 1900), ao mesmo tempo fez publicar um édito para que em Berlim, ou em qualquer outra parte dos seus domínios, não pudesse haver mais de quatro advogados. Por tal modo, muitas mil pessoas de agudeza e engenho, foram privadas de grandes rendas e de um esplêndido modo de vida. Combinaram, por isso, em dirigir ao rei uma petição, mostrando que em virtude do édito, se achavam reduzidos à miséria, e pedindo-lhe que por sua bondade e clemência lhes designasse empregos pelos quais ressarcissem as perdas que experimentavam pela falta do lugar de que haviam sido despojados.
O despacho, que se conserva nos arquivos reais (esta notícia é de 1824), foi pronto e, segundo o costume na época, escrito à margem da petição. E diz o seguinte:

Os que não tiverem altura para granadeiros, podem assentar praça de soldados rasos, e os que não tiverem medidas para soldado raso, serão aceites para tambores e pífaros’.