fazer colheres

Quem se entretém com trabalhos de pouco interesse ou utilidade, quem, afinal, não faz nada, diz-se que faz colheres, o que também pode ser compreendido como um modo de passar (ou matar) o tempo
Matar o tempo era, muito provavelmente, o que antigamente faziam os pastores enquanto o gado pastoreava por perto. E a forma mais tradicional de o fazerem era construindo flautas de cana ou madeira ou, então, com os mesmos materiais (havia uma ou outra possível substância de trabalho, nomeadamente o chifre ou osso), entretinham-se a fazer colheres, sobretudo as conhecidas e ainda usadas… de pau.

 

 

 

(quem não sabe o que fazer, faz colheres;
quem não tem nada que fazer, faz colheres
)

17 comentários sobre “fazer colheres

  1. Vladimir 25 Novembro, 2007 / 00:02

    Dão sempre outro sabor à comida quando utilizadas para fins culinários…..

  2. Sophiamar 24 Novembro, 2007 / 23:35

    Quem não tem que fazer faz colheres mas eu sei que há por aí um novo post para quem gosta de te ler.
    Beijinhossss

  3. a sua vizinha 24 Novembro, 2007 / 16:13

    Ora a vizinha também sabe que – quem não tem que fazer faz colheres de pau! É assim mesmo! Venha até cá tomar um chazinho com torradas e conversamos!
    Um abrcinho da Diolinda

  4. APC 23 Novembro, 2007 / 03:30

    Sabes que ainda apanhei com ela?
    Ah, pois! E por muito pouco, até. Agora, quando um adulto grita com uma criança, toda a rua pára a olhar com ar de censura. Dantes era diferente. Bom… E eu ainda estou só a falar do “meu” dantes. Que do “teu” dantes, contas-nos tu. E, quando no-lo contas, é mesmo bom!!! :-)))
    Um grande abraço.

  5. Bichodeconta 22 Novembro, 2007 / 16:56

    Pois, só que na minha twerra, diz-se: Quem não tem o que fazer, abre o ………….. Apanha moscas, e vai levá-las a vender.. Gostei e tenho saudades do tempo que o tempo leva… um abraço, ell

  6. tufa tau 22 Novembro, 2007 / 01:13

    a da imagem, está muito perfeita!
    abraço

  7. samuel 21 Novembro, 2007 / 23:09

    Ficarei cliente deste blog.
    Gosto muito… e quem está fora, racha lenha!
    Vai ser linkado, se não for inconveniente.
    Abraço.

  8. Meg 21 Novembro, 2007 / 22:17

    É sempre gratificante encontrar aqui o significado de tantas ezpressões que utilizamos sem fazermos ideia da sua proveniência.
    Cultura Popular, assim mesmo, com letra maiúscula.
    Obrigada e um abraço

  9. bettips 21 Novembro, 2007 / 18:10

    É que além da “peixeirada” que aquilo é, parece que só sabem fazer “colheres de pau”…esses, os justiços! Mercado do Anjo, onde está agora o decadente centro, ainda lá fui com a minha “vózinha”! Abç

  10. Entre linhas... 21 Novembro, 2007 / 17:21

    Sempre com pormenores interessantes,além de um provérbio um contexto muito bem enquadrado.
    BJs Zita

  11. Ana Paula 21 Novembro, 2007 / 10:07

    Olá! 🙂
    Quem me dera ter tempo para “fazer colheres”! Não pude deixar de sentir uma certa nostalgia desse tempo em que havia tempo…até para isso!
    De resto, as colheres de pau são super úteis, não riscam, etc.
    Por outro lado, têm sempre um ar artesanal que é bonito.
    Ocorreu-me a expressão “fazer rodriguinhos” que revela um tempo disponível muito menos aproveitado.
    Parabéns! É sempre muito agradável passar por aqui e tomar nota destes interessantes apontamentos! 🙂

  12. un dress 21 Novembro, 2007 / 00:24

    colheres de pau!
    fui eu que apaguei, saiu duplicado:)

  13. un dress 21 Novembro, 2007 / 00:23

    juro que adoro caolheres e pau!! acho-as lindas!
    e quanto mais irregulares mais acho!:)
    beijO

  14. justine 20 Novembro, 2007 / 23:20

    Muito interessante, a origem da expressão. Pena é que a UE queira proibir, ou já o fez, a utilização das colheres de pau!Mas como também já quase não há pastores…

  15. Maria Laura 20 Novembro, 2007 / 22:34

    E quão úteis são, as colheres de pau… Porque terão ficado ligadas a essa conotação negativa de que “quem não tem nada que fazer… faz colheres”, como se fossem algo sem utilidade? 🙂

  16. Gi 20 Novembro, 2007 / 21:43

    Obrigada pela explicação. Rápida e eficiente 🙂 Mil vezes agradecida 🙂
    beijinhos

  17. J. Brandão 20 Novembro, 2007 / 21:14

    Tenho vindo aqui com regularidade embora não comente mas hoje nao posso deixar de o fazer. Ainda há pouco vi que alguem lhe fez um pedido no post aqui em baixo e já cá está a resposta? Isso é que é! Onde vai buscar esssa informação toda amigo? Um espanto!
    grd abraço do
    Jose Brandão

(actualmente os comentários estão encerrados)