Janeiro

Ramalhete Manual de diversos preceitos de saúde e higiene para Janeiro, impressos à custa de Luiz Moraes, mercador dé livros
Lisboa, MDCCCXXVIII
na Officina de Francisco Souza, com todas as lecenças necessárias.
Sem causa urgente, foge da sangria,
bebe vinho branco e delicado,
deixa o falso; não laves todavia
a cabeça; usa sempre mel rosado
dos pomos goza a qualidade fria
e em jejum da pimenta o grão pizado.
De noite não passeas ao sereno
porque para a saúde isso he veneno.
Planta e enxerta, que tudo assim importa no crescente
e no minguante a madeira corta que fica excelente.

 

.

9 comentários sobre “Janeiro

  1. Ana Ramon 28 Janeiro, 2008 / 13:26

    Pois é… já me tinha esquecido que as sementeiras só se devem fazer no crescente. Ainda bem que lembraste, Vou ver em que fase da lua estamos :))
    Um beijinho grande

  2. APC 28 Janeiro, 2008 / 02:53

    Saberes de viver feitos… Uma herança de peso! Vale a pena estudar a lição; mas também vale fazer tudo às avessas! 😉
    É que tudo vale a pena’…!
    E ler-te vem no topo da lista! 😉

  3. Gi 28 Janeiro, 2008 / 00:55

    Que preceitos tão a preceito mas já estou como quem comentou antes … não lavar a cabeça umm mês inteirinho? A sangria que falam parece ser a de sangrar não? Seguida do viinho branco faz um bocado de confusão (na altura ainda não devia haver gasosa 🙂 ).

    Mais uma preciosidade que aqui deixas.

    Um beijinho e noite feliz

  4. Bichodeconta 26 Janeiro, 2008 / 19:04

    Nem todas as pessoas sabem dessas artes, acredite..Parabéns pelo magnífico poema..um abraço, ell

  5. un dress 26 Janeiro, 2008 / 00:57

    ai,,,

    mas falta tantO a neve

    em janeiro!

  6. un dress 26 Janeiro, 2008 / 00:56

    poesia tão

    terna

    tão concreta

    tão doce!!

    🙂

  7. Maria Laura 25 Janeiro, 2008 / 18:02

    Alguns conselhos até ainda são úteis. Mas esse de não lavar a cabeça… :))

  8. Isabel 24 Janeiro, 2008 / 17:12

    Gostei dos conselhos e conclui que deve ser por isso que sou tão pouco saudável, não sou de refrescos e no verão tenho tendência a substitui-los por sangria, à refeição no entanto sempre vinho, mas não branco e delicado, a minha preferência vai para o tinto, e depois nada como uma boa aguardente.
    Não gosto de mel a não sre com queijo e gosto mais de malageta que pimenta em grão…
    Gosto do prazer de fazer asneiras e ninguem me tira o prazer de depois inventar as minhas próprias mézinhas para tratar as minhas maleitas…

    Tinha saudades de passar por aqui.

    Abraço

    Isabel

  9. Justine 24 Janeiro, 2008 / 00:01

    Excelentes conselhos, excepção feita àquele de não lavar a cabeça…como é que se aguentava um mês?
    Mas ainda a minha mãe me dizia que se devia cortar o cabelo no quarto minguante, que o tornaria mais forte. Pelos vistos também faz bem à madeira.
    Uma boa noite :))

(actualmente os comentários estão encerrados)