lenço


Será porventura curioso reparar que o lenço, ao longo da sua história, teve uma infinidade de usos, mas nunca para assoar o nariz!…
Os romanos usavam-no (e levavam consigo sempre mais do que um) para limpar o suor da cara e do pescoço; por isso lhes chamavam facilia. Também eram empregues para proteger a garganta do frio e a cabeça do sol; ou para cobrir o rosto, como fazia Nero nos espectáculos circenses.
Os gregos, por outro lado, usavam o que nomeavam como athone, indistintamente como lenço ou guardanapo. O lenço de bolso aparece em Veneza, por volta de 1540, baptizado de fazzoletto e era especialmente utilizado pelas prostitutas.

É de salientar que nunca ninguém se preocupou com a sua estética, até que, no século XVIII, Maria Antonieta determinou que deveria ser quadrado. Até aí austeros e sem graça, os lenços passaram a ser profusamente decorados. Assim nasceu o chamado ‘a la fleur de Marie’, que toda a pessoa elegante, homem ou mulher, deveria transportar na mão…
Em 1924 a firma americana Kimberly-Clark modernizou definitivamente o lenço criando os descartáveis Kleenex, que se tornaram o produto ideal para evitar a propagação de germes e aliviar o trabalho das donas de casa…

 

6 comentários sobre “lenço

  1. APC 30 Abril, 2009 / 03:47

    PS – E (quase) acabou com os lenços ranhosos dentro dos bolsos, também! 🙂

  2. APC 15 Fevereiro, 2007 / 02:57

    Ah, como adoro essas resenhas históricas sobre objectos e usos! Tenho uma sobre o anéis, algures encafuada numa caveta, feita para uma enciclopédia. Uma vez mais, acho interessantíssimo esse movimento de acompanhar uma coisa através dos tempos. Gostei muito! 🙂

  3. bom dia isabel 14 Fevereiro, 2007 / 21:37

    O teu poder se síntese é fantástico. Permites que imprima os teus posts e os dê a conhecer?
    Beijinhos

  4. redonda 14 Fevereiro, 2007 / 17:04

    Não conhecia a história do lenço 🙂

  5. psique 13 Fevereiro, 2007 / 14:20

    olha a margarida tem razão… os lenços dos namorados eram uma bonita tradição

  6. margarida 13 Fevereiro, 2007 / 11:43

    E como aliviou!!!! É que a meio do séc. XX servia mesmo para assoar e não havia máquinas de lavar.
    Mas foi esquecida uma citação breve ao lenço dos namorados do Minho… Era um símbolo de fidelidade, ou de exigência dela?

(actualmente os comentários estão encerrados)