Novembro nos provérbios


Novembro provém do latim November, que significa nono; era o 9º mês do calendário romano.
(no dia 22, pelas 16:50 horas o Sol dá entrada na constelação do Sagitário)

Dos Santos (1) ao São Martinho (11) são dez dias forrados de pão e vinho
Em chegando o Santo André (30), todo o tempo noite é
Se queres pasmar o teu vizinho, sacha e esterca pelo São Martinho
De Todos-os-Santos ao Advento (a iniciar dia 2 de Dezembro), nem muita chuva nem muito vento
No dia de São Martinho, mata o teu porco e prova o teu vinho
Em dia de Santo André, o tremoço não está, nem na saca nem no pé
Em Novembro põe tudo a secar, que pode o sol não voltar
No dia de São Leão (10), semear sim marear não
No São Martinho prova o teu vinho; ao cabo de um ano já não te faz dano
Pelos Santos semeia o trigo e colhe as castanhas
No São Martinho semeia o teu cebolinho, que o meu já está crescidinho
Por São Clemente (23), alça a mão da semente
Pelo São Martinho todo o mosto é bom vinho
Dos Santos ao Santo André, um mês é; de Santo André ao Natal três semanas contadas é
Quem apanha azeitona antes do Santo André, deixa o azeite no pé
Depois dos Santos chega a geada aos campos
Em Novembro vem a chuva e o frio e o sol vai com o resto
Por São Florêncio (7), o Inverno vai-se ou volta
Novembro à porta, geada na horta
Se em Novembro ouvires trovão, o ano que vem será bom
Pela Senhora da Graça (27) o Sete-Estrelo posto será
Em Novembro ou bom chover ou bom nevar
Em Novembro não vás a banhos nem tão pouco saias de casa antes que o sol sua luz estenda

 

.

8 comentários sobre “Novembro nos provérbios

  1. APC 15 Novembro, 2007 / 20:09

    Se em Novembro ouvires trovão, o ano que vem será “bão”! – só com esta pronuncia se entende, lol.

    “Em Novembro, sê feliz.
    Podia ter dito outra coisa,
    mas foi isto que eu quis!”

    :-)))

  2. pin gente 13 Novembro, 2007 / 11:35

    acredita que poucos conhecia?
    sempre interessante esta sua informação.
    abraço
    luísa

  3. velha gaiteira 12 Novembro, 2007 / 09:27

    Ontem , não arranjei castanhas…

    em parte alguma, em super algum
    e fui
    a casa duns amigos
    velhos, muito velhos (70 e tal/ 88 anos…)

    e tive um serão quente, quente com belas castanhas, vinho tinto e ambiente bem português, do então, do antigamente!

  4. Meg 8 Novembro, 2007 / 22:38

    Mas se já não há estações do ano como podem prevalecer estes provérbios tão ligados à terra, ao clima, à nossa cultura e agricultura, se é que ainda existe!
    Estou pessimista, porque me apetecem os dias de inverno e estou a viver o pleno verão.

    Um abraço

  5. bettips 7 Novembro, 2007 / 18:31

    Se Novembro estranho
    assim se vai o ganho: isto inventei agora, explicação deste mês tão incomum. Abçs

  6. Maria 7 Novembro, 2007 / 17:07

    Com este tempo novo os provérbios estão a “ir às urtigas”….
    Onde está a geada? E a chuva e o frio?

    Enfim, os provérbios são isso mesmo e não deixa de ser curioso conhecê-los…

  7. justine 6 Novembro, 2007 / 22:00

    Sabe bem reler todos estes provérbios (alguns não conhecia). Lembro-me de ouvir alguns deles ao meu pai, como sendo verdades incontestáveis. De qualquer modo, é a sabedoria empírica do povo. Muito interessante

  8. un dress 6 Novembro, 2007 / 12:41

    este novembro…pode-se ir a banhos!!

    mesmo nas praias do norte!:)

    matar o porco é que nem por isso!…

    é um prazer relembrar 🙂

    abraÇo

(actualmente os comentários estão encerrados)