Outubro nos provérbios

Outubro é uma palavra originária do Latim (October), que significa oitavo mês dos romanos
(no dia 23, às 20:16 horas, o Sol entra na constelação do Escorpião; às 02:00 horas do dia 28 a hora oficial atrasa-se sessenta minutos)

Com a vinha, em Outubro, come a cabra, engorda o boi com o dono
Se queres alho cuzudo, semeia-o no mês de Outubro
Vindima em Outubro, que São Martinho agradecerá
De Outubro até Dezembro não busques o pão no mar
Em Outubro torna ao teu celeiro e abre o teu mealheiro
Anda, marinheiro, anda, que São Simão (28) não te apanhe no mar
Quando Outubro for erveiro, guarda para Março o palheiro
Em Outubro o lume já é amigo
Em São Simão, favas na mão
Outubro quente traz o diabo no ventre
Em Outubro pega tudo
Outubro suão, negaças de Verão
Aí por São Lucas (18) bem sabem as uvas
No dia de Santa Iria (20), pega nos bois e guia
Em Outubro meu trigo cubro
Em Outubro sê prudente: guarda o pão e guarda a semente
Logo que Outubro venha procura a lenha
Outubro chuvoso faz o ano venturoso
Em Outubro a vaca vai para o palheiro e o porco para o outeiro
Pelo São Francisco (10) semeia o teu trigo e a velha que o dizia semeado o tinha
Não peças sol a S. João nem água a São Simão que eles tudo isso te darão
Em Outubro o Sol já tem sono
Em Outubro não fies só lã: recolhe o teu milho e o teu feijão, senão no Inverno tens a tua barriga em vão
Até São Judas (28) já colhidas são as uvas
Por São Lucas mata os teus porcos e tapa as tuas cubas

 

.

8 comentários sobre “Outubro nos provérbios

  1. coisa má 26 Outubro, 2007 / 23:08

    Também gosto muito da sabedoria tradicional! Cá na Madeira também ha montes de histórias, contos e ditos antigos com certa piada! Vou tentar postar alguns lá no blogue! De qualquer modo é uma cultura a não deixar morrer! força aí e os meus parabéns pelo blogue!

  2. lucia 12 Outubro, 2007 / 20:08

    Mesmo que acima e abaixo do Equador as coisas funcionem de modo diferente, sempre restam coisas em comum: as sementes são tão numerosas no momento. Bom conselho, guarda o apo e guarda a semente. Gostei da seção, voltarei e obrigada por sua visita ao blog.

  3. un dress 5 Outubro, 2007 / 11:45

    tudo virado de facto: pra dentro

    o aconchego que se avizinha.

    e que por vezes se deseja tanTo!!

    *

  4. Gi 4 Outubro, 2007 / 14:22

    Até que enfim que não me sinto tão ignorante no que diz respeito a estes apontamentos que aqui nos deixas. Destes conheço a maioria (se bem que alguns estavam meio empoeirados). 5 estrelas *****

    🙂

    Beijinhos

  5. Maria Clarinda 3 Outubro, 2007 / 10:19

    Adorei saber tudo isto sobre o Outono. Obrigada
    jinhos mil

  6. Miosotis 3 Outubro, 2007 / 00:01

    Eu adoro os provérbios e adágios populares!

    Temos uma tradição patrimonial oral riquíssima, ‘Tinta Permanente’!Deixaste aqui bem demonstrada essa faceta da nossa cultura!

    É possível que venha aqui ‘roubar’ um ou dois… importas-te?

    Sensibilizada pelo olhar ‘silêncio’ poisado em ‘fragmentos’!

    Um abraço

    Sensibilizada

  7. mafalda 2 Outubro, 2007 / 20:12

    Grandioso, Tinta Permanente. Se pudesses sentir o bem que me faz a visita a este teu espaço!… Mas não podes. Ou não sabes. Para ti, tudo é natural. Vulgar mesmo, talvez. Obrigada, de qualquer modo, ainda que não te apeteça entender por que te agradeço.

    Muito carinho num abraço.

  8. Inês 2 Outubro, 2007 / 18:44

    Há aqui um precioso património cultural (escrito e musical) que deveria ser amplamente difundido, elogiado e guardado.
    bjs
    Inês

(actualmente os comentários estão encerrados)