pegar o touro pelos cornos

A propósito da polémica das touradas ouvi dizer que mancormunar o touro era uma luta leal. Embora perceba que se referiam a pegar o touro pelos cornos, não encontrei explicação para o termo usado, escrevia-me a amiga Ana Silveira, de Viseu.
Compreendo. A palavra não existe.
Creio perceber-lhe a origem. Vamos lá:

Semelhante, em português, temos mancomunar, que nos diz ser tipo negociata, tramóia com outro (ou outros…) para urdir um estratagema, marosca ou gatunice.
Se continuarmos no dicionário logo vemos que mancomunação é um conchavo, um conluio. Por outro lado, agarrar o touro pelos cornos será o figurativo para a decisão, mesmo que difícil ou arriscada, de resolver um problema, ultrapassar um obstáculo ou alterar radicalmente uma situação. Sendo assim, parece que por aqui não vamos lá; mesmo que quiséssemos criar alguma associação metafórica. Mas…
Na tauromaquia espanhola, para a expressão pegar o touro pelos cornos é usual dizer-se atrapar (tomar, coger) al toro por los cuernos (ou por las astas). Porém, na região baixa de Castela é vulgar usar o verbo mancornar para substituir qualquer um dos outros (mancornar al toro…).
Provavelmente mancormunar será um atropelo entre um verbo português (mancomunar) e um outro, espanhol (mancornar). Que acha?…
Ainda a propósito de enfrentar decididamente qualquer adversidade, arregaçar as mangas, vergar a mola, meter mãos à obra (mais ou menos a mesma coisa que nos diz a frase do touro), há um outro provérbio, este bem remoto, que nos leva à Roma antiga. Diz-nos auribus teneo lupum e era enunciada quando se estava face a circunstâncias insustentáveis ou quando seria necessário um esforço agigantado para solucionar um problema ou dificuldade.
Traduzido à letra, auribus teneo lupum é segurar um lobo pelas orelhas.
Não estaremos a falar da mesma moralidade, apenas adaptada, pelo tempo, a um contexto folclórico? Hipótese bizarra, sim, mas…
ditados velhos são Evangelhos.

 

 

 

(para se ir à nascente tem de se ir contra a corrente)