manias policiais

Ele era um anelante leitor de romances policiais; mas suspeitava que, possivelmente, poderia ser impelido a desistir de tais leduras. Já estavam, por demais, a influir na sua vida. Dava consigo continuamente cronometrado, exactamente como se faz nas historias de detectives, crimes, suspeitos e assassinos. (mais…)

canivete

Quando era ganapo, havia três coisas que eu sonhava ter: muito dinheiro, uma caixa – das grandes! – de lápis de cor e um canivete. Dinheiro, era pouco; não conhecia ninguém que tivesse muito. A tia Hermengarda, um dia, acabou por me dar uma caixa (mais…)