a cidade
(fábulas que Esopo se esqueceu de contar)

Pelo minguar da tarde, o presbítero caminhava em passo demorado ao longo do muro da cidade, quando foi abordado por um estrangeiro.
– Como são as pessoas nesta cidade? – quis saber o forasteiro.
– Como eram as pessoas da última cidade onde esteve? – replicou o velho.
– Eram francas, livres e sinceras. Lá fui muito feliz. Gente generosa, fraterna sempre disposta a ajudar quem necessitasse.
– Sim? Vai achar as pessoas deste lugar muito parecidas.
Mais à frente, outro peregrino abeirou-se do ancião:
– Como são as pessoas nesta cidade?
– Como eram as pessoas da última cidade onde esteve? – contrapôs o velho.
– Más e egoístas, incapazes de ajudar o seu semelhante. Pessoas malíssimas, um lugar deplorável. – falou o homem, de rosto crispado.
– Sim? Vai achar as pessoas deste lugar muito parecidas – disse o idoso emérito.

16 comentários sobre “a cidade
(fábulas que Esopo se esqueceu de contar)

  1. Olinda Melo 10 Outubro, 2019 / 17:01

    Olá, Jorge
    Esopo não se lembraria desta…
    Tão cheia de lógica e tendo o ser humano como medida.
    Os seus textos trazem-me sempre motivos de reflexão.
    Abraço
    Olinda

  2. Susana 8 Outubro, 2019 / 11:12

    Além da moralidade que é o objectivo de qualquer fábula as suas histórias sabem bem.
    beijos

  3. Bartolomeu Fernandes 3 Outubro, 2019 / 10:17

    Sabes que há muito conheço as tuas ‘fábulas’. Ainda me lembro de me teres mandado comprar ar!…
    Abraço, companheiro

    • jorgesteves 18 Outubro, 2019 / 19:11

      Não mandei, não mandei! Apenas sugeri… Mas percebi onde querias chegar!
      Abraço, amigão.
      jorge

    • jorgesteves 18 Outubro, 2019 / 19:09

      Toda a razão, amiga Elvira. Muitas vezes esquecemos que também fazemos parte da cidade…
      Abraço.
      jorge

  4. Marcela Quelhas 27 Setembro, 2019 / 18:52

    Colecciono estas fábulas que, ainda bem, o Esopo não contou, desde os cavalos do banco a estas cidades de cada um. Admiráveis.
    E há muito que não ouvia a Shirley Bassey!
    beijo

    • jorgesteves 18 Outubro, 2019 / 19:08

      Obrigado, Marcela, obrigado até por me ter lembrado outras colecções!
      Ouvir essa Senhora é sempre um prazer, claro!
      Abraço.
      jorge

Deixe uma resposta