bombeiros de antigamente


A apresentação das novas viaturas dos bombeiros e dos novos voluntários do bairro da Ajuda, em Março de 1920, foi um acontecimento muito festejado pela enorme multidão que se aglomerou por todas as imediações do quartel…

(o registo da efeméride, 90 anos, e a propósito, talvez, da ajuda que os bombeiros podem dar aos incêndios que se anunciam…)

 

 

5 comentários sobre “bombeiros de antigamente

  1. tinta permanente 6 Abril, 2010 / 11:45

    Baila sem peso
    Pois o que mais 'moderno' achei na curiosa fotografia foi, de facto, a analogia que me assaltou de imediato: a 'ajuda' dos bombeiros…
    Ai, se eles pudessem…
    abraços!

    Violeta
    Agradecido sou eu!…
    abraços!

    Justine
    Olha que assim, com todas as 'priscas' que tenho para mostrar, não há nostalgia que te chegue!…
    Abraços!

    APC
    Grande ambulância, grande foto, grande exagero!…
    Grande abraço!

    grandes ou pequenos momentos…
    que, por aqui, silenciosamente passam, vos agradeço!
    tintapermanente

  2. APC 1 Abril, 2010 / 01:19

    Eheheheh… Este sábado passei-o nos Bombeiros Voluntários de Sesimbra. A primeira coisa em que reparei foi naquela frota de viaturas! Imensas! E variadas! E extremamente bem apetrechadas; de tudo um pouco, incluíndo para salvamento aquático (não apenas lanchas, mas uma carrinha própria), material de espeleologia e afins. Não foi a primeira vez que visitei um quartel de bombeiros, mas devo dizer-te que fiquei surpreendida. E é claro que esta imagem me deu de sorrir. Mas não posso deixar de dizer que, em beleza, prefiro mil vezes a ambulância da foto. Grande foto!!!
    Grande Tinta! 🙂
    Grande abraço…
    (Ah… Grande Páscoa!)

  3. Justine 27 Março, 2010 / 10:28

    Que nostalgia me assalta, ao ver estas fotos antigas. Mostra-me claramente o correr do tempo, que a gente no dia-a-dia tenta esquecer…
    Abraço amigo

  4. Violeta 25 Março, 2010 / 22:02

    uma delícia..
    obrigada!

  5. Baila sem peso 25 Março, 2010 / 13:28

    E a musiquita com tanto ai, ai, ai
    Só faz lembrar como anda o corpo…
    Num incêndio de cor por dor
    Porque não se abrigou em tempo
    Que bem avisa quem não se guarda
    E o mal chega e nunca tarda…

    Venham de lá os bombeiros a ver se safam
    Este Marçagão, que não escolhe pulmão
    Que no sol prazenteiro se aninha…
    Ai, ai, ai…que me dói minh`asinha! 🙂

    (A foto é uma “Ajuda” bem engraçada
    Que aos soldados da Paz
    não faltou a maca, nem nada!) 🙂

    E cuidado com o Marçagão, pois então
    Que já se dizia:
    “Manhãs de Inverno, tardes de Verão”
    Que trazem constipação!!!!
    Acrescento eu ao refrão 🙂

    Meu beijo no meio da comemoração 🙂

(actualmente os comentários estão encerrados)