porca miséria

A descoberta de grandes quantidades de ossos de porco em locais onde existiram quintas ou aglomerados romanos, especialmente na Península Ibérica e na orla francesa do Golfo da Biscaia, levou os arqueólogos à conclusão de que a agricultura declinou significativamente durante os últimos dias do Império Romano naquelas regiões.
Os porcos são fáceis de criar; alimentam-se de sobras. Em contrapartida, a forragem para o gado, bovino e ovino, é cara e estes animais necessitam de extensas pastagens. Uma vez que os ossos constituíam mais de 65% dos despojos animais encontrados nesses agregados populacionais dos finais do séc.IV, os investigadores acreditam que os agricultores foram forçados à criação de porcos a fim de prover com uma fonte barata de proteínas uma civilização decadente.
As variedades possíveis extraídas do porco assado seriam, assim, o prato popular durante o ocaso do Império Romano por estas bandas…
Porca miséria, em italiano (literalmente miseria cerda) é uma expressão de raiva, de infortúnio. Será esta, remotamente, a origem do dito?

 

 

 

(quando entra a miséria pela porta, sai a dignidade pela janela)