Agosto (outra vez…) nos provérbios

Água de Agosto, água no rosto
Em Agosto dá o sol no rosto
Agosto, não caminhar e em Dezembro não marear
Ande o ano por onde andar, o mês de Agosto há-de aquentar
Em dia de S. Bartolomeu (24), anda o diabo à solta
Em Agosto ardem os montes e secam as fontes
Em Agosto, suor no rosto
O mês de Agosto arremeda os outros
O mês de Agosto será gaiteiro se for bonito o um de Janeiro
Primeiro de Agosto, primeiro de Inverno
Tardes de Agosto, nem para a água, nem para o poço
Trovões em Agosto, Inverno comprido
Agosto aguilhoa o preguiçoso
Agosto amadurece, Setembro vindimece
Em Agosto, candeeiro posto
Agosto chuvoso, dá força à vida
Agosto chuvoso é ano formoso
Agosto debulhar, Setembro vindimar
Agosto e vindima, não vêm cada dia, mas sim cada ano, uns com ganância, outros com dano
Agosto, engravelar
Agosto, frio no rosto, malha com desgosto
Agosto, mês de desgosto
Agosto nos farta, Agosto nos mata
Agosto tem a culpa, Setembro leva a fruta
Água de Agosto, açafrão, mel e mosto
Os nabos querem ver o luar de Agosto
A água de Agosto apressa o mosto
Até quinze de Agosto, malha a teu gosto; depois, malha o suor do teu rosto
Chovendo em Agosto, não metas teu dinheiro em mosto
Chuva fina por Santo Agostinho (28), é como se chovesse vinho
Dia de São Lourenço (10), vai à vinha e enche o lenço
Em Agosto, antes vinagre que mosto
Uma rega no mês de Agosto leva o milho ao caniço
Em Agosto apanha macela que livra da botica o uso dela
Em Agosto deve o milho ferver no caroço e a castanha no ouriço
Em Agosto malha a gosto
Em Agosto, palhas ao palheiro, meninas ao candeeiro
Em Agosto, sardinhas e mosto
Em Agosto, terra lavrada dá de cara à estercada
Em Agosto, toda a fruta tem seu gosto
Julho é o mês das colheitas, Agosto é o mês das festas
Se Maio come o pão, Agosto bebe o vinho
O Sol de Agosto cria azeite e mosto
Pela Assunção (15) cada pinga vale um tostão
Por Santa Maria de Agosto (15), repasta a vaca um pouco
Por São Lourenço, vai à vinha e enche o lenço.
Quem não debulha em Agosto, debulha com mau rosto
Quem quiser mal à vizinha, dê-lhe em Maio sardinha e em Agosto a vindima
Quem se casa em Agosto, não junta dinheiro
Tardes de Agosto, nem para a água, nem para o poço
Tardes de Agosto, passam de encosto

 

9 comentários sobre “Agosto (outra vez…) nos provérbios

  1. jawaa 16 Setembro, 2008 / 17:58

    Pelo mesmo motivo da Elvira Carvalho eu casei… a 29 de Julho! Já lá vão 43 anos, alguns com lágrimas no rosto, pois então.
    Mas quem nunca chorou, que atire a primeira pedra!

  2. APC 26 Agosto, 2008 / 17:11

    Em Agosto, não caminhar e em Dezembro não marear? Bom, com a primeira já não cumpri eu, achas que é grave? Eu cá gostei, adorandar!
    E também gostei do “Água de Agosto, açafrão, mel e mosto”… Verso morno no tom, de forte aroma.

  3. RB 18 Agosto, 2008 / 19:27

    Isso é que é musicalidade na escrita

  4. Rosa dos Ventos 16 Agosto, 2008 / 20:21

    Gostei da listagem!
    A sabedoria popular é muito significativa embora estes transtornos do tempo tragam algumas alterações.
    Vou acrescentar outro que não tem só a ver com Agosto:
    “Se quiseres ver o teu marido morto dá-lhe sardinhas em Maio e couves em Agosto”.

    Abraço e boas pesquisas para eu ficar a saber mais

  5. Justine 16 Agosto, 2008 / 18:02

    Agosto é mesmo o mês das festas. A da nossa aldeia foi ontem, com prolongamento para hoje e amanhã. E com tanta música “disco” ou “metal” ou lá o que é, já me está apetecer fugir:))
    Obrigada por mais esta pitada de tradição e sabedoria!
    Beijo

  6. Vieira Calado 16 Agosto, 2008 / 01:09

    Nunca imaginei que houvesse tantos.
    Bom fim de semana

  7. Sophiamar 15 Agosto, 2008 / 04:56

    Uma recolha interessante que vou registar. Hoje, dia da Assunção, será que vai chover? Cada pinga vale um milhão. É mesmo verdade. A terra está seca mas se a chuva cair não virá estragar as uvas e os figos?

    Beijinhos

    Bom feriado!

  8. elvira carvalho 14 Agosto, 2008 / 22:25

    Eu casei em Agosto. Minha família não queriam que fosse em Agosto porque diziam “Casamento em Agosto, lágrimas no rosto”
    Um abraço e bom fim de semana

  9. Carla 14 Agosto, 2008 / 16:50

    interessante esta sabedoria popular
    beijos

(actualmente os comentários estão encerrados)