Reitoria da Universidade do Porto


O edifício da actual Reitoria da Universidade do Porto, na praça Parada Leitão (vulgarmente conhecida pelo nome de praça dos Leões), começou por ser a Academia Polytechnica do Porto, e teve a sua origem, curiosamente, numa aula de Náutica, em 1762.
Os negociantes do Porto, naquela época, sabendo que a navegação, saída ou a demandar o Douro, era alvo de constantes ameaças e assaltos por parte de toda a sorte de piratas e ladrões, propuseram a Rei o lançamento de um imposto especial para a construção e custeio de duas fragatas de guerra, suficientemente apetrechadas, com o fim de acompanhar as naus, nas suas viagens entre esta cidade e os portos do Brasil, naquela altura ainda colónia portuguesa. Para tal fim é que se criou uma incipiente aula de Náutica, que viria mais tarde a dar origem, em 1803, à Academia Real da Marinha e Comércio da Cidade do Porto. Para o seu custeio foi estabelecido, por Alvará Régio, o imposto de um real em cada quartilho de vinho que se vendesse a retalho na cidade e distrito do Porto, imposto que durou até 1825. A direcção e administração da nova Academia competiam à junta da Companhia Geral de Agricultura das Vinhas do Alto-Douro, que se prestara a esse encargo sem outro tributo que não fosse ao serviço do Rei e do bem da Pátria.

As aulas de Náutica, começaram com sete disciplinas: Matemática, Desenho, Comércio, Agricultura, Francês, Inglês e Filosofia Racional.
Será interessante e curioso referir que a disciplina de Desenho teve a honra de ser professorada por três notáveis mestres: Francisco Vieira, o Vieira Portuense (1805), Domingos António Sequeira (1806) e Augusto Roquemont (1831).
Projectado em 1807, o edifício teria uma existência atribulada: construído com vários períodos de paragens, lentos avanços e até recuos, palco das invasões francesas, das lutas liberais e protagonista do Cerco do Porto, na altura servindo de hospital.
Em 13 de Janeiro de 1837, por decreto referendado por Manuel Passos, foi transformado em Academia Politécnica. Seria ainda Faculdade de Engenharia, de Economia e de Ciências. Sofreria dois grandes incêndios (1974 e 2008), dos quais recuperaria a sua majestosa e sóbria arquitectura, que hoje mantém, como Reitoria da Universidade do Porto.

(em cima, fotografia actual da Reitoria;
em baixo, fotografia da Academia Polytechnica, em 1901)