Santa Marta de Penaguião

Perguntava-me Teresa Magalhães, qual seria a origem de Penaguião, no nome da sua terra natal, Santa Marta de Penaguião (um dos concelhos mais a sul, no distrito de Vila Real, em plena região duriense). Dizia que Santa Marta já sabia quem era, mas Penaguião
Bom, como em quase toda a nossa toponomástica, com maior ou menor incidência, convicção ou simples probabilidade, é na mistura da lenda com derivações históricas que se encontram (ou não…) as explicações que procuramos. Como é no caso de Santa Marta de Penaguião.
Conta a lenda que um cavaleiro francês, o Conde Guillon, quando andava por aquelas bandas, talvez ainda no rescaldo das demandas pedidas pelo rei de Leão, um dia, mandou queimar uma pequena ermida votiva a Santa Marta.
A santa apareceu-lhe e, apesar do pronto arrependimento, ali lhe determinou, como castigo, que plantasse e cuidasse de um vinha. O conde, humilhado, não quis sequer olhar a aparição, mas apercebeu-se da proximidade de um corvo (ave sagrada, profética e, segundo crenças muito antigas, símbolo de mau agoiro, que pressente a morte com o seu grasnar). O cavaleiro cumpriu a penitência e, mais tarde, quando fazia a vindima, apareceram-lhe duas pombas brancas e um pequeno cordeiro (símbolos de pureza e reconciliação), compreendendo assim, feliz, que estava perdoado. A povoação, que entretanto assistira, temerosa, aqueles conturbados tempos, percebeu que a paz tinha voltado ao lugar e, por causa da história, passou a chamar ao lugarejo Santa Marta de Pena Guillon. Pena (castigo) e Guillon, acabaram por se fundir numa só palavra, depois de o linguajar do povo ter ‘traduzidoGuillon para Guião.
Cabe recordar, entretanto, que Santa Marta, irmã de Maria Madalena e de Lázaro, é figura bíblica símbolo do trabalho, tendo sido, talvez por isso, escolhida para protectora da região dos vinhos do Douro, e muito venerada por muitos e longínquos lugares em redor (devoção mesmo anterior à nacionalidade).
Os estudiosos, porém, dizem que o topónimo Penaguião alude a uma fortificação que se situava em Sedielos, umas boas léguas distantes. Não creio. Até por não haverem sido, até hoje, descobertos quaisquer vestígios dessa tal fortificação…