andar ao deus-dará

Andar ao deus-dará será andar ao calhas, na gandaia, abrigo e sustentação incertos. Ao que parece, a expressão terá tido origem na história de um comerciante português, um tal Manuel Álvares, estabelecido em Pernambuco, nos meados do século XVII.
Nessa altura seria vulgar a soldadesca do aquartelamento português na vila, andar com o pré (o salário na tropa) sempre em falta. O homem lá ia socorrendo o pessoal, conforme podia, enquanto os procurava alentar usando frequentemente a expressão Deus dará.
À maioria das aflições, o Deus dará, ficava-se pela bondade e pela generosidade do lojista. Com o tempo, Manuel Álvares acabaria por acrescentar ao seu nome o apelido Deus-Dará, por decisão régia. O seu filho teria sido nomeado provedor-mor e até uma moeda foi cunhada com o seu apelido.
Não deixa de ser irónica alguma ligação que se possa fazer, dizendo que anda à cata de umas moedas, quem andar ao deus-dará.
Também, por outro lado, talvez explique o sentido que se dá à expressão, significando vagabundagem, quem anda, ocioso, de mão estendida.
(ver andar na gandaia)

 

 

 

(estende tu a mão e Deus dará)