berliques e berloques

Por (ou com) artes de berliques e berloques, isto é, por habilidade, escamoteação, surripadela ou prestidigitação mais ou menos conseguida, ou seja, artimanha a roçar o estranho ou esquisito que, geralmente, redunda em intrujice ou bifanço.
A parémia, bem antiga, tem origem, provavelmente, nos remotos folguedos e brincadeiras do Carnaval (o adeus à carne, no culto cristão da Paixão de Cristo), e daí ter extravasado para o dia-a-dia das ruas, aproveitando aos velhos pelotiqueiros (palavra tão semelhante!…, não é?), escamoteadores, saltimbancos, malabaristas, geralmente larápios, que nas praças públicas, para atraírem a atenção dos passantes, exibiam-se de vestes espalhafatosas e executavam vários trabalhos de ilusionismo ou semelhantes, dizendo sempre que todas essas sortes maravilhosas eram feitas por artes de berliques e berloques.
Berliques é das palavras que só existem em fórmulas rítmicas, no caso em correlação com berloques, que é de origem francesa, e significa caçoleta, engrolar.
Na língua francesa existe a locução brelique-breloque com o sentido de exprimir ao acaso, desordenadamente ou em confusão.
Daí que, defendem os estudiosos, por artes de berliques e berloques seja então, a arte de fazer as coisas de modo confuso, para enganar, tal como procedem os ilusionistas.
E, na verdade, mais ou menos, todos nós sabemos bem o que são estas (e outras) artes de berliques e berloques

 

 

 

 

(muitos são enganados, poucos são os culpados)