estar à rasca

Poder-se-á dizer que o conceito geralmente atribuído à expressão é similar à que traduz estar à brocha.
Atenção, neste caso convém não esquecer que enquanto nessa expressão, rasca é um adjectivo, o uso da palavra como substantivo (comida rasca, o indivíduo é rasca) já tem outra acepção: é coisa reles, de má qualidade ou gosto, ordinária.

Repare que no dito a geração rasca está à rasca, a primeira palavra é um substantivo e a segunda é um adjectivo; por isso têm sentidos diferentes. Assim também são diversos a origem e significado.
Acresce ainda lembrar um outro significado da palavra rasca, hoje em completo desuso, que refere a parte que cabe a cada um em divisão de qualquer lucro (o mesmo sentido de quinhão).
É verdade que rasca também é rede de arrasto, especial para a captura de marisco, tal como pequena embarcação de dois mastros com velas latinas. No Minho, ouvi muitas vezes a expressão rascar as batatas (ou o milho) quando se pretendia fazer as cavadelas necessárias para lhes arrancar as ervas em redor.
Já viu, em algum pequeno rio do interior, aqueles sossegados baixios, de água translúcida, com uns quantos pequenos peixes, juntos sobre o fundo dourado das areias, quase quedos, apenas sacudindo preguiçosamente as barbatanas ao sol? Pois, a esse pequeno cardume costuma chamar-se… rasca.
Ficou à rasca?

(ver estar à brocha, bera e marca roscof)

 

 

 

(Não tem nada a ver os amores de Maria Bela com pão chouriço ou canela)