atirar poeira aos olhos

A fonte é Gélio (Aulo Gélio, séc II d.C.): refere-se a alguém que, tendo adquirido superficialmente e de modo tosco algumas noções de gramática, exibe-as a todos, para esconder a sua ignorância. (como exemplo, serve à evidência, o inenarrável Conselheiro Acácio, personagem do livro Primo Basílio, de Eça de Queiroz).
A expressão atirar poeira aos olhos, com o sentido de induzir em erro, levar a crer no que não é verdadeiro – muito comum em todas as línguas europeias – não era assim tão difundida em latim: parece estar presente só em as Confissões de Santo Agostinho, enquanto em Plauto se tem, com o mesmo significado, glaucumam ob óculos obiciemus (faremos descer glaucoma sobre os olhos). Essa expressão também é registada por Erasmo nos seus Adagia.
A propósito, e por curiosidade, em italiano existe a expressão gettare fumo negli occhi (lançar fumo aos olhos).

 

 

 

 

(quem com penas de pavão se enfeita a muito se sujeita)