não poder com uma gata pelo rabo

Esta é uma expressão bastante antiga e bem elucidativa do contexto social em que eram tidas as mulheres.
O propositado vocábulo feminino, neste caso, tem o objectivo de humilhar o impotente ou o fraco a quem se dirige a referência. O pressuposto é que a gata é mais fraca do que o gato, menos veloz e menos feroz em sua própria defesa.
Mesmo que, em quaisquer circunstâncias, não seja nada fácil segurar uma gata (ou um gato) pelo rabo, a expressão pretende acentuar o seu vincado carácter humilhante.

 

 

 

(o gato só come o que está mal guardado)