rir a bandeiras despregadas

A teoria comummente aceite é que se trata de uma corruptela; seria, então, correcto dizer-se rir a braguilhas despregadas. Assim, no pressuposto de que quem gosta de soltar boas gargalhadas, afrouxa a braguilha (a carcela) das calças de modo a poder rir de modo mais folgado, sem condicionalismos?
Bom, mas e… as mulheres? Ou até mesmo as crianças? Não me parece.
O Dicionário Língua Portugueza Recopilado da M. Lacerda(1823) diz despregar suas forças; usar dellas de todo o seu poder. Sair da Praça com as bandeiras despregadas; i, é, todas estendidas. A’s bandeiras despregadas; sem moderação. Armada que vinha á véla com o Noroeste despregado; vento solto com força. Um outro dicionário, o Analógico da Língua Portugueza de Francisco Azevedo, 1940, diz que despregar é sinónimo de largar, soltar, desconjuntar, debandar, escachar desgovernadamente.
Duarte de Leão, (séc XVI) na Chronica del Rei Dom Fernando, falando das guerras com Castela e da ajuda prestada pelos ingleses, estando as forças contendoras nas
imediações da fronteira do Caia, escreveu:
(…) el Rei de Castella ajuntou suas gentes, & as mandou caminhar do estremo de Portugal. Porq̃ sabia, que como os Ingreses fossẽ encaualgados, havião de entrar per seu reino. (…) Nesta ordem & com as bandeiras despregadas stiuerão grande spaço, ate despois do meo dia, sperando que el Rei de Castella viesse aa batalha. E vendo q̃ não queria, se tornou el Rei Dom Fernando a Eluas & o Conde a seu arraial (…)
Ao cabo, em concordância com uma outra sentença que diz ri à doida todo aquele que ri a bom rir, ou seja, sem qualquer contenção.
Parece-me bem melhor do que, o muito riso deixar-nos sujeitos a ficar… com as calças na mão.

 

 

 

(ri-se o sujo do mal lavado e o roto do esfarrapado)