cair nos braços de Morfeu

 

Uma sentença errada. Diz-se cair (ou estar) nos braços de Morfeu quando se pretende significar que se adormece profundamente. A verdade é que esta romântica locução induz (mal) a acreditar que Morfeu era o deus do sono, na mitologia grega.
O facto é que Morfeu era o criador, o deus, se assim quisermos, dos… sonhos; Hypnos, seu pai, esse sim é que era o deus do sono.
Duas curiosidades a este propósito: Morfeu, como disse, era o deus dos sonhos, mas apenas dos sonhos bons e tranquilos. Por sua vez, Hypnos (nome de onde deriva hipnose), tinha nove irmãos, um dos quais era seu gémeo: Tânato, deus da morte (nome de onde deriva tanatologia, designação da ciência forense que estuda os mecanismos e aspectos forenses da morte).
Talvez tenha sido a partir desta genealogia que William Shakespeare tenha ido buscar inspiração para escrever que o sono é o prenúncio da morte…

 

 

 

 

(sonhando o cego que via, sonhava o que queria)