podes tirar o cavalinho da chuva

tira o cavalinho da chuvaÉ uma elocução que alguém usa, ironicamente, para dizer ao seu interlocutor que não vale a pena insistir nos seus intentos porque o fará inutilmente.
A ironia não será contemporânea da origem; terá a ver com o tom jocoso com que a expressão foi adquirindo com o uso.
A proveniência da expressão remonta aos tempos anteriores ao automóvel, quando as deslocações se faziam maioritariamente a cavalo.
Nas estalagens, nos pontos de descanso ao longo dos percursos habituais, nas casas dos aglomerados ou da ruralidade, existiam (ainda se podem ver em algumas antigas edificações) locais específicos para se prenderem os cavalos, nomeadamente argolas incrustadas, quase sempre nas frontarias, enquanto o cavaleiro executava o objectivo da sua deslocação.

Ora fosse na estalagem para uma refeição ou dormida, em casa particular para visita, estabelecimento para negócio, não era educado que o visitante levasse directamente o cavalo para o estábulo (se existisse, claro) sem a prévia anuência do proprietário. Especialmente nas ocasiões de tempo mais desfavorável, se a estada se prolongasse, e fosse ela motivo de agrado do visitado, diligentemente era convidado a resguardar o animal no aconchego do estábulo. Ao fazê-lo, o estalajadeiro ou o anfitrião estavam a demonstrar prazer, ou interesse, no prolongamento da companhia, sugerindo assim ao visitante que desistisse da ideia de sair rapidamente.
Daí que, para tratar de um negócio, aprofundar conversa, uns interesses ou simplesmente comer uma boa refeição e dormir nesta noite, então, podes tirar o cavalinho da chuva e ficar mais algum tempo…

 

 

 

(quem muito te escova, não é só o pó que quer tirar)