não entender patavina

A actual cidade de Pádua, onde viveu Santo António, que ali viria a ser sepultado numa monumental igreja, tinha a designação de Patavium, nos primórdios do Cristianismo. Daí que patavino seria o natural de Patavium (Pádua) e de qualquer outra coisa que à cidade dissesse respeito.
Um dos mais notáveis oradores e historiadores romanos, Tito Lívio, nasceu e viveu ali. A sua obra destacou-se, sobretudo, pelo contributo dado à História, mas também pelo seu estilo de escrita muito característico e eloquente. De tal forma rebuscado que As Décadas foram severamente criticadas pelos seus detractores que diziam abusarem em excesso do uso de patavinitas, ou seja, incluírem palavras ou frases de contexto regional, próprias da linguagem popular local.

Então, dizer-se não saber patavina ou não saber o patavino era, liminarmente, não entender ou compreender o que Tito Lívio escrevera. A expressão naturalmente ganha contornos vexatórios devido à tendência natural, mas tola, (ainda hoje em bem presente) para se considerar os dialectos como linguagem de gente inculta e boçal.
Haverá porventura uma outra explicação, menos crível, mas aceite por alguns estudiosos: Pádua, em meados do século XIII, tinha uma das mais importantes universidades europeias, especialmente no ensino de Direito. Por toda a Europa académica, é claro que alguém que fizesse os seus estudos nessa matéria não poderia ignorar a matéria jurídica oriunda da Universidade de Pádua.
Dizer não saber (ou não conhecer) a Escola Patavina era, assim, confessar não saber nada sobre tal matéria. Ainda outra hipótese (ou talvez apenas um circunstancialismo que apõe acrescento a uma ou outra explicação aqui referida), será o facto de, nessa época, alguns frades patavinos virem a Portugal com alguma frequência e, nos contactos com as pessoas, resultar que estas, sabendo-lhes a origem, expressarem correntemente não entenderem patavinos.
Por uma ou outra via se chega à origem da locução.
Quem não perceber isso… não entende patavina.

 

 

 

(do trilho só entende quem o trilha)