voto de Minerva

O axioma tem sua origem numa história pertencente à mitologia grega.
Agamenon, o comandante da Guerra de Tróia, ofereceu a vida de uma filha em sacrifício aos deuses para conseguir a vitória do exército grego contra os troianos. Sua mulher, Clitemnestra, cega de ódio, assassinou-o. Com esses crimes, o deus Apolo ordenou que o outro filho de Agamenon, Orestes, matasse a própria mãe para vingar o pai. Orestes obedeceu, mas seu crime também teria de ser vingado. Em vez de aplicar a pena, Apolo deu a Orestes o direito a um julgamento, o primeiro do mundo. A decisão, tomada por 12 cidadãos, terminou empatada. Chamada pelos gregos, Atenas, a deusa da sabedoria (Minerva era seu nome romano) proferiu seu voto, desempatando o feito e poupando a vida de Orestes.
A romanização iria popularizar a história, e o axioma, com o nome da deusa romana.
Eis a razão da expressão Voto de Minerva (também conhecida como voto de desempate ou voto de qualidade).

 

 

 

(ou poldro ou égua ou o dinheiro dela)